Skip to content
Você está na: Vídeos arrow De tudo um pouco arrow Guia de como Praticar Sexo Anal
Guia de como Praticar Sexo Anal
esse material foi desenvolvido com pesquisas em vários sites (incluindo o da Maitê), participando de Grupos do Yahoo!, comunidades do Orkut e das antigas comunidades do MSN, conversas nas salas de bate-papo sobre Travestis do UOL, verificadas ou percebidas em minha vivência sexual ou analisando as histórias de outras pessoas.
         As informações contidas nesse artigo são fruto da experiência coletiva, divulgada e compartilhada na internet através dos anos para que todos possam ter uma vida mais feliz e resolvida.
         Esse texto não possui autor, apenas ajudei a compartilhar com você.
         Boa leitura e divirta-se!

         O prazer anal é um fato comprovado pela ciência, discutido em vários livros de sexólogos e psicólogos (entre eles, se destaca Alfred Kinsey e Shere Hite). Em alguns casos, o estimulo pode fazer com que a pessoa goze pelo ânus. Um fato ignorado por puro preconceito.
         A prática do sexo anal é provavelmente o maior tabu sexual existente em nossa sociedade. A penetração pelo ânus soa para algumas pessoas como uma prática cruel e suja. A sua reputação ficou pior ainda nas últimas décadas devido ao surgimento do HIV, que é facilmente transmitido pelo sexo anal desprotegido. Apesar de tudo isso, algumas pessoas adoram a prática do sexo anal, outras odeiam e outras nunca tentaram ainda e são curiosas.
         O prazer do sexo anal é derivado de muitos fatores. O próprio tabu é uma delas. Certas pessoas sentem prazer em fazer algo considerado errado pela sociedade. Mudar a rotina de uma vida sexual que se tornou entediante pode ser outro fator. As sensações físicas dessa prática são totalmente diferentes de quaisquer outras sensações. O reto possui vários nervos muito sensíveis que podem dar muito prazer a certas pessoas.
         O corpo humano possui dois esfíncteres anais (músculos circulares que fazem com que o orifício se contraia e relaxe). O primeiro esfíncter fica na entrada do reto e o segundo uns 3 centímetros mais para dentro. Ao contrário da vagina que é bastante elástica e possui baixa sensibilidade, esses esfíncteres são cheios de terminais nervosos, tornando-os extremamente sensíveis. É por essa razão que à distância entre dor e prazer é tão tênue.
         No caso do homem, Hite realizou um estudo, em seu famoso Relatório da Sexualidade Masculina, provando que o “Ponto G” do homem está localizado na base da próstata (uma glândula extremamente sensível ao toque e cuja estimulação provoca uma sensação deliciosa), que pode ser estimulada através do ânus. Ninguém mais discute este fato. Isto significa que qualquer heterossexual pode sentir prazer nessa parte do corpo (homem ou mulher), funcionando como uma espécie de “potencializador”.
         Tanto no homem quanto na mulher, o “gozo” pelo ânus gerar um prazer bem prolongado, já que dura durante todo o ato, e não apenas por uns 3 ou 4 segundos de prazer intenso. Claro, essa sensação é muitíssimo diferente de um orgasmo, mas ainda assim bastante satisfatório, visto que 80% dos gays dizem gostar mais dessa sensação do que ejacular. Sendo assim, usar o ânus para obter prazer é algo que realmente faz sentido, não sendo uma coisa de masoquista, como pensam os ignorantes em geral.
         Está claro e evidente que o conhecimento e a aplicação das técnicas de masturbação anal podem servir para melhorar a qualidade dos relacionamentos entre os indivíduos, sejam eles heterossexuais ou não. Os benefícios não serão desfrutados apenas pelos masturbadores solitários, mas também - e principalmente - pelos amantes em geral, que chegarão por fim ao supra-sumo do compartilhamento da mútua intimidade. É possível intimidade maior e mais radical que o contato anal? Qual é, afinal, a parte mais íntima e secreta de nosso corpo, a menos exposta, a mais oculta e guardada?
         O sexo anal não deve ser dolorido. Se doer, é porque vocês estão fazendo algo de errado. A falta de preparativos é, provavelmente, a causa das doloridas tentativas do sexo anal. Com lubrificante, camisinha e paciência suficiente, é totalmente possível incluir o sexo anal em sua vida sexual com segurança e prazer. Mesmo assim, há pessoas que não curtem, e se seu parceiro ou parceira for uma dessas pessoas, respeite seus limites e não os force.
         Infelizmente, algumas pessoas amadurecem sem estarem preparadas para realizarem o sexo anal. Por isso importância de aprender a masturbar o ânus, para depois já se estar bem preparado para ser penetrado, o que não será tão fácil assim sem um preparo prévio. uma glândula extremamente sensível ao toque e cuja estimulação provoca uma sensação deliciosa.
         O fato de tal sensação ser natural não significa que não necessitemos de um preparo: ele é bem necessário! Ou então a gente vai ficar a vida toda pensando: “como o sexo vaginal é naturalmente simples, e como nós somos degenerados...”
         1º passo: Higiene
         A pessoa pode ter um prazer relativo no ânus apenas masturbando-o com os dedos. Porém, por mais limpo que o reto esteja limpo, sempre existirá algum resíduo dentro do intestino. Para sentir o “prazer anal”, o movimento tem que ser forte e profundo. Se houver resíduos no intestino, o indivíduo passivo chegaria ao clímax, pois a transa terá o mesmo efeito de um “super-supositório”, tendo que sair correndo para o banheiro, tornando-se mais um sacrifício que um ato de amor.
         Mesmo sem fazer sexo, a simples sensação de colocar o dedo lá já é o suficiente para garantir o prazer, mas não o prazer PERFEITO! O que queremos aqui é ensinar a masturbação anal perfeita, totalmente satisfatória, que seria o máximo possível de semelhante com uma transa perfeita.
         Um dos métodos utilizados para realizar a higiene neste local é o chuveirinho (popularmente conhecido como chuca). Mas, para utilizá-lo, é aconselhável ter “ido ao banheiro” antes. Algumas pessoas utilizam purgantes para facilitar o processo, mas é possível acostumar o intestino a trabalhar sempre no mesmo horário, indo no banheiro e sentando no vaso, mesmo sem vontade. Com o tempo, o intestino passará a trabalhar sempre no mesmo horário.
         Mesmo assim, é bom esperar uma hora ou mais para fazer a chuca. Ao evacuar, o esfíncter se contrai para o intestino recuperar sua flora. Com isso, fica muito difícil penetrar. Por isso, é interessante tentar ir ao banheiro pela manhã e deixar para fazer a chuquinha mais a tarde.
         Para fazer a chuca, durante o banho, limpe a região do ânus com sabão e massageie-o, para relaxar. Depois, pegue a mangueirinha do chuveiro, retire o bocal e aponte o jato de água para o ânus, fique assim até se sentir confortável. Nesse momento, introduza um dedo, mais ou menos uns 3 cm, para limpar o finalzinho do reto.
         Preste atenção na temperatura água. O intestino possui uma flora natura de bactérias e a mucosa possui uma certa sensibilidade, se a água estiver muito quente ou fria, pode ser que você deixe a mucosa ainda mais sensível, prejudicando na hora da relação. Regule a temperatura para que a água saia morna, na própria média do corpo, apenas esquentando a pele sem provocar aquela sensação de leve ardência.
         Agora, encoste a mangueirinha no ânus e pressione (sem introduzir) até sentir que a água está entrando. Depois que você relaxou um pouco mais, introduza só um pouquinho a mangueira, menos de 1cm, apenas para dar mais pressão para a água. Deixe a água morna entrar até sentir que já está bem cheia. Segure firme, enxugue-se e vá para o vaso sanitário.
         Sente e relaxe. A dica é não forçar a água para sair, pois isso pode machucar, deixe que ela saia sozinha (e isso acontecerá imediatamente). Espere sair toda a água que subiu pelo intestino. Lembre-se de que o intestino é composto por várias dobras e rugas. Por isso, não saia de imediato, pois sempre terá um pouco de água para sair.
         Depois, vá novamente para a mangueirinha. Esse processo deve ser repetido algumas vezes para o intestino ficar limpo. Mas não exagere, pois o excesso pode prejudicar a flora intestinal. Umas quatro vezes devem ser o suficiente. Em algumas raras ocasiões, pode ser que o intestino já esteja “quase” limpo por dentro, mesmo sem chuca. Porém, como é muito difícil prever essas ocasiões, é bom prevenir.
         Outro método de higiene é utilizar uma Ducha Intima Feminina, uma bisnaga com uma bolsa na extremidade, como um aplicador do rinossoro gigante, a venda em qualquer farmácia. Você também pode fazer uma Ducha Intima caseira, usando um tubo de desodorante vazio. Tire a tampa e o canudo do spray e lave bem para não ficar nenhum resíduo de álcool. Encha-o na torneira da pia do banheiro, durante o banho e aperte-o contra o ânus.
         Independente disso, o método da chuca não possui contra-indicação e não causa nenhum dano à saúde, desde que não se faça todo dia, pois o intestino pode ficar desacostumado a trabalhar normalmente. Além disso, é adequado que se espere algum tempo para que a parte final do intestino recupere sua plena lubrificação natural, parcialmente eliminada com a água da chuca. Isso não impede que se sinta prazer logo após a chuca. Porém, esse método não é algo “natural” e, provavelmente, a flora do intestino se alterará, perdendo o sebo da mucosa, que é uma lubrificação natural do corpo. Por isso, é bom esperar uma meia hora para que ele se recomponha, possibilitando uma transa mais perfeita possível.
         Uma dica: é muito mais prazeroso fazer a chuca à noite e só se penetrar no outro dia de manhã, pois o ânus estará mais sensível após o sono. Aparentemente, o “descanso” aumenta ainda mais o prazer interno, o “impacto” bom da penetração.
         2º passo: Masturbação
         O objetivo aqui é masturbar o ânus até que se sinta muitíssimo prazer, mas sabemos que isso não ocorre de uma hora para outra, sem uma preparação. Além disso, nunca espere que o gozo do ânus seja como um orgasmo (embora alguns sexólogos o denominem “orgasmo retal”), porque é completamente diferente. A vantagem é que é mais profundo e duradouro.
         Para as pessoas que receberão o sexo anal e que nunca a fizeram antes, a primeira e melhor coisa a se fazer é explorar o seu ânus sozinha(o). Para poder ter prazer nessa prática, você precisa aprender a ter controle sobre sua mente. Se você ficar tensa(o), os músculos em volta de seu ânus também ficarão e nada será capaz de penetrá-lo.
         A melhor ocasião para explorar o ânus é em seu quarto, sozinho e nú, se entregando apenas para essa sensação, evitando que outros fatores (roupas apertadas, barulho, gente andando pela casa) lhe incomodem, fazendo com que não relaxe ou sinta prazer. Não se esqueça de ter as unhas bem aparadas, pois elas poderiam facilmente arranhar o tecido interior do reto.
         Primeiro, você deve se excitar, masturbando-se e explorando seu corpo. Durante a masturbação, faça uma massagem na região do ânus. Sinta dos dedos passando pela região para relaxa e se acostumar com a sensação. Passe um lubrificante na região e nos dedos, espalhe uma boa quantidade, fazendo movimentos circulares em torno do ânus. Comece a pressionar o ânus com os dedos e veja quais sensações lhe proporcionam.
         Se estiver relaxada, deite-se de bruços (barriga para baixo) na cama e passe um pouco mais de lubrificante em seu dedo e comece a enfiá-lo com cuidado para dentro do ânus. Não tenha pressa. O importante é relaxar e sentir as sensações. Não vá fundo (pelo menos, ainda não). Enfie apenas a ponta do dedo e faça movimentos suaves e lentos de entra e sai. Isso irá ajudar sua parceira a relaxar (as mulheres costumam a ficarem muito excitadas nesse momento).
         Repare que a sensação inicial é a mesma de defecar, mas note que essa sensação não é necessariamente ruim, mas que às vezes tende ao agradável. Manter-se excitado pode ajudar a aumentar a sensação de prezar. No caso das mulheres, deixe a outra mão escorregar pelo clitóris e pela abertura da vagina. Já com os homens, massageie o saco e o pênis, mas bem suavemente. Em ambos os casos, lembre-se de que o foco é o prazer anal.
         Agora, faça força com o ânus, como se estivesse indo no banheiro para dilatá-lo. Se quiser, apenas coloque os dedos sobre o ânus e finja tossir, é essa mesma força que tem que fazer. Quando você faz essa força, o períneo se dilata, facilitando a penetração.
         Faça força para dilatar o períneo e introduza o dedo, com calma, cada vez mais fundo. Quando introduzir tudo, faça força para prender o períneo. Sinta seu dedo lá dentro. Tente dilatar, segure, prenda e segure. Esse exercício fará com que você tenha maior controle de seu períneo, permitindo ter mais prazer durante a relação.
         Depois, dilate o períneo e apenas faça pressão com o dedo para dentro, como se tentasse ir além, relaxando a mão e voltando a posição inicial em seguida e relaxe. Continue fazendo isso até sentir que está se acostumando com o ritmo. Então, faça movimentos para dentro e para fora. Comece introduzindo o dedo até o fundo e apenas fazendo pressão para fora, mas sem mover para trás.
         Com o tempo, note que você ficará mais relaxado. Então, passe a mover o dedo para frente e para trás, retirando cada vez mais o dedo, até chegar o momento em que o dedo estiver entrando e saindo facilmente. Nesse momento explore a região. Vá mexendo o dedo de várias maneiras, até descobrir uma que seja agradável para você.
         Logo, o ânus estará tão relaxado e úmido. Preste bastante atenção na sensação, sinta os dedos massageando você por dentro. Lembre-se de manter a excitação, massageando suavemente seu orgão sexual.
         Quando estiver sentindo prazer e bem relaxado, tente colocar dois dedos, talvez o indicador e o do meio. Repita o processo, introduzindo até o fundo e pressionando aos poucos. Quando estiver bem relaxado, faça movimentos de vai-e-vem com os dois, ou passando um dedo no outro, se abrindo por dentro, como uma tesoura.
         Deixe dois dedos mexendo simultaneamente no orifício, fortemente, pra cima e pra baixo, não só no interior, mas também, no próprio anel, como se quisesse alargá-lo. Não mexa apenas as extremidades dos dedos, mas sim a mão, ficando vários minutos assim. Varie de posições, enfiando por trás, agachado, de joelhos, pela frente (posição “frango-assado”)... Descubra qual dá mais prazer e qual incomoda mais.
         Até aqui, se tudo der certo, você estará sentindo uma sensação de prazer. Porém, isso nem sempre ocorre de um dia para o outro ou signifique que já está apto ao sexo anal. O ânus é um músculo e como tal, precisa ser exercitado. Pratique esse tipo de masturbação várias vezes, até estar bem acostumado com as sensações.
         Depois que já estiver sentindo prazer com dois dedos, é o momento te tentar o terceiro. Isso é muito bom pra acostumar o ânus a receber o pênis de um parceiro, posteriormente, mas os três dedos não conseguirão estimular muito por dentro, pois que não entram até a base. É mais recomendado para acostumar o anel do ânus, preparando-o para a transa. Evidentemente, a situação será muito mais interessante se incrementada por “fantasias” psicológicas.
         Você pode incrementar essa prática utilizando objetos para estimular o ânus. Você tanto comprar algum produto em um sexshop ou utilizar outros objetos cilíndricos (como legumes ou utensílios). Porém, em ambos os casos, lembre-se de sempre usar uma camisinha.
         Usando um objeto, você pode ficar agachado, segurando-o pela frente com uma mão e sentando em cima, enquanto se masturba com a outra. É bem diferente da transa feita sentando sobre o pênis, já que é meio difícil ou cansativo para a pessoa ativa fazer o movimento de baixo para cima, como a mão faz quando impulsiona o objeto.
         Outra opção é ficar de joelhos. Tente afastar as pernas uma da outra o mais que puder, apoiando-se não na sola dos pés, mas na parte superior deles. Empine bem a bunda e dilate um pouco a barriga para frente, mas mantendo o torso ereto, aprumado, como um galo quando canta. Penetre o objeto por trás com uma mão e masturbe-se com a outra.
         No caso dos homens, o pênis fica parecendo maior, mais exposto e saltado, sensível ao toque e ao estímulo do ânus. Ainda não se sabe ao certo o porquê disso; talvez se relacione com ao fato do canal retal manter-se em total paralelo com a próstata, permitindo estimular diretamente com a penetração.
         Para os casais (homossexuais ou heterossexuais) com maior cumplicidade, é interessante praticar a masturbação anal no parceiro que irá penetrar (mesmo que seja com apenas um dedo). Essa medida possibilitará que ele tenha um maior conhecimento “do que está fazendo”.
         Insinua isso, ou pegue-o de surpresa. Durante a masturbação, fale baixinho em sua orelha que “é assim que gosta” movimentando os dedos da forma como te dá mais prazer. Assim, ele terá uma completa noção do que fazer na hora.
       
3º passo: O ato
         Depois que se acostuma com a masturbação no ânus, chega o momento de TENTAR praticar o ato sexual. Deve-se tomar precauções prévias, como usar sempre camisinha, lubrificante à base de água e lavar cuidadosamente o pênis antes de partir para qualquer outra prática (como o sexo oral ou vaginal) é essencial.
         As mulheres, muito mais do que os homens, também são estimuladas por sinais sensoriais. Então, aproveite-se desse fato e crie um clima no lugar, deixando com meia luz, usando aromas e uma música de fundo. Não importa se na relação heterossexual a mulher desempenhe o papel de ativa ou passiva, criar um clima romântico a deixará muito mais excitada, mexendo com sua libido.
         Se as preliminares são importantes em qualquer relação sexual, no sexo anal elas são indispensáveis. O indivíduo tem que estar excitado, com tesão e querendo muito fazer sexo anal. Sendo assim, capriche nos beijos, nas carícias, nas palavras ("sejamos docemente pornográficos", já dizia o poeta Drumond de Andrade) e use a língua. Afinal, nada mais justo do que cobrir de beijinhos, mordidinhas e lambidas uma coisa que você deseja tanto.
         Aplique um sexo oral na pessoa, para instigá-la e massageie a região do ânus simultaneamente. Quanto ela estiver bem excitada, comece um Beijo Grego (sexo oral no ânus, também conhecido como Anilingus). O ato de lamber ou chupar o ânus ajuda a relaxar o esfíncter e intensificar o prazer na região.
         Note que, conforme se “lambe” a região, o ânus começa a se dilatar. Isso é um indício de que a musculatura está cedendo, ficando relaxada. Passe a tentar introduzir a língua no ânus, pressionando-a contra ele. Tente ir cada vez mais profundo. Nesse momento, diminua a estimulação no órgão sexual e concentre-se mais no ânus, para evitar que a pessoa tenha um orgasmo antes da hora.
         Quando a pessoa estiver muito excitada (se retorcendo muito ou falando nada-com-cada), coloque um pouco de lubrificante em seus dedos e comece a passá-los sobre o ânus. Depois, aos poucos e com muito cuidado, comece enfiar o dedo no ânus (é importante que a pessoa passiva faça força para dilatar o períneo nesse momento) e massageie-o com movimentos circulares, sempre atento às reações da pessoa. Lembre-se: seu objetivo a ter e dar prazer. Faça movimentos vai-e-vem lentos e compassados.
         Quando sentir que a pessoa estiver bem à vontade (ou pergunte, bem baixinho na orelha, com beijinhos e mordidinhas, se está bom o suficiente), passe mais lubrificante e introduza outro dedo. Lembre-se do processo de masturbação. A pessoa tem que ficar bem relaxada e os dedos massageando livremente o ânus, sem precisar fazer muita força.
         Além de relaxar o ânus, é preciso ter em mente de que o intestino é composto por uma série de curvas. Durante o processo digestivo, essas curvas se alteram, adaptando-se ao seu volume interior. A masturbação anal no início é importante justamente por isso, para fazer com a curva no final do reto se modifique, permitindo introduzir algo (exatamente o inverso de quando vamos ao banheiro). Quanto mais profundo introduzir os dedos, melhor, mas tenha calma para não machucar a pessoa.
         Depois, tire os dedos, passe mais lubrificante e tente colocar mais um (três dedos no total). Estimule assim o tempo que for preciso, dê beijos na nuca, nos ombros, e no pescoço. O intuito é fazer com que a pessoa anseie por ser penetrada. Se ela não estiver excitada o suficiente, com certeza, não será possível penetrar.
         Quando a pessoa estiver se acostumado com esse tipo de estimulação, é ora de tentar a penetração. Lembre-se de usar sempre uma camisinha e lubrificante. Abuse com o lubrificante, é sempre importante estar bem lubrificado. Como o ânus e o reto não produzem lubrificação natural suficiente, passe uma boa quantidade de lubrificante no pênis e no ânus antes de partir para penetração propriamente dita. As marcas ANAL EASY, nas versões gel ou spray, é altamente recomendado, pois possui ação atenuante da sensibilidade, além de ser solúvel em água e poder ser usado com preservativo.
         Como a pessoa passiva tem que estar relaxada o tempo todo para esse tipo de relação, é aconselhável evitar posições que provoquem incômodos, pois isso fará com que o ânus se contraia. No início, pode ser com que ela se assuste com a sensação, contraindo se contraindo imediatamente. Por isso, prefira ficar deitado e de bruços (barriga para baixo), possibilitando que a pessoa fique relaxada e tenha mais controle. Essa posição também contribui para dilatar mais o ânus e ter controle sobre ele.
         Por mais que você esteja a fim, vá com calma. Em geral, a penetração compreende três etapas. Primeiro, encoste a glande (cabeça do pênis) no lugar certo e exerça uma pressão suave mas determinada. Quando a glande estiver dentro, pare, dê um tempo para que o esfíncter se dilate e se acomode à presença dele.
         Encoste a cabeça do pênis no ânus, mas não penetre, pois, no início, não será tão simples. A penetração inicial é sempre a mais difícil, pois o ânus é uma abertura bem apertada. Force um pouco, apenas exercendo uma pressão suave e lenta, mas determinada. Isso fará com que a pessoa fique mais excitada, relaxando ainda mais. Algumas vezes, force um pouquinho, mas sem tentar penetrar. Conforme for pressionando, o próprio ânus começará a dilatar, permitindo com que a cabeça entre. Não se esqueça de estar sempre alerta as reações da pessoa.
         Prometa (e cumpra) que irá parar se a pessoa sentir qualquer tipo de desconforto. Sussurre umas sacanagens gostosas no ouvido, beije seu pescoço, sua nuca, de modo a manter a excitação sempre em alta. No segundo estágio, penetre aos poucos até que a metade do pênis esteja dentro do ânus (mais uma vez, a pessoa passiva faça força para dilatar o períneo nesse momento). Sempre com calma, comece a se movimentar suavemente, lentamente. Evite mover o pênis para trás, faça apenas pressão, indo-e-vindo. Faça movimentos lentos até que a pessoa se acostume com o pênis em seu ânus.
         Controle o ímpeto de chegar muito fundo na primeira vez. Se não conseguir penetrar, seu parceiro deve ainda deve estar um pouco tenso e necessite ser excitado de outras formas, como o sexo oral. Se mesmo assim não conseguir, talvez vocês tenham de adiar a tentativa.
         A partir daí não tem retorno. É se entregar ao delírio... se tudo tiver sido feito direitinho, estará experimentando um prazer intenso, diferente de todos os outros. A pessoa passiva ainda poderá colaborar com seus movimentos, empurrando o bumbum de encontro ao seu corpo, ditando o ritmo que lhe seja mais prazeroso.
         Uma coisa importante a se ter em mente é que a pessoa passiva só sente prazer com a penetração anal até o momento em que atinge o orgasmo (isso vale tanto para o homem quanto para a mulher). Nem adianta continuar a penetração, pois, se continuarmos, a pessoa passará a sentir um grande desconforto por dentro, uma espécie de enjôo ou dor.
         Isso ocorre porque seu interior se convulsionou tanto durante o orgasmo que não suportará mais tanta pressão. Começa a doer. Não há mais prazer físico (embora persista, talvez, o psicológico). Em caso em que a penetração de ambos (o famoso “troca-troca” homossexual ou a inversão heterossexual), deve-se cuidar para que a pessoa que comece penetrando só tenha orgasmo quando estiver sendo penetrado. Por este motivo, é bom não estimular muito o órgão sexual, para que a pessoa passiva possa ter tempo para sentir o prazer anal.
         No caso de uma penetração homossexual, é preciso estar alinhado com seu parceiro, trocando de lugar sempre que esteja próximo de ejacular.
         Já em uma de uma relação heterossexual, é bom penetrar a mulher no ânus no início e deixar para a vaginal no final. Caso o homem também seja penetrado (durante a inversão de papeis) é bom fazer isso antes que ele ejacule. Dessa forma, ambos terão a possibilidade ter o prazer anal ao máximo.
         Independente do sexo, algumas pessoas passam a sentir mais prazer no sexo após serem penetradas no ânus. No caso das mulheres, aparentemente, elas ficam mais excitadas, tendo mais prazer na penetração vaginal. Já no caso dos homens, é comum entre pessoas que praticam Inversão de Papeis, possuem relações homossexuais ou com travestis, que desejam ser penetrados antes para terem mais prazer na hora de penetrar.
         De algum forma, a penetração anal parece que intensifica a sensibilidade nos órgãos sexuais, bombeando mais sangue para as veias e deixando os nervos mais sensíveis.
         No final da relação, ao retirar o objeto do ânus (utensílio ou o pênis), é comum que saia um pouco sujo, seja pelo sebo natural do intestino ou por algum resíduo. Isso é completamente normal, levando em consideração o excesso de movimentação e pressão exercida.
         Além disso, provavelmente, é comum durante o ato apresentar um cheio característico. Normalmente, esse fato constrange a maior parte das mulheres. Mas é preciso que ambos entendam que tanto o cheiro quanto a sujeira são naturais, não tendo que se envergonhar disso.
         Variando Posições
         Lembrem-se que estas são apenas algumas sugestões. A descoberta e tentativa de novas posições podem ser também muito estimulantes para ambos parceiros.
#          Passivo em cima: está é a posição ideal para as pessoas que estão começando, pois dessa forma, a pessoa passiva tem total controle na velocidade e profundidade da penetração. A pessoa ativa fica deitada, enquanto a pessoa ativa fica por cima, tendo todo o controle da situação.
# De frente (frango assado): nessa posição, a pessoa passiva deve fica deitada de costas para a cama e traz os joelhos até o peito, apoiando os pés nos ombros da outra pessoa. Essa posição permite uma fácil e profunda penetração.
No caso do homem passivo, essa posição permite que seu pênis seja estimulado. Já no caso da mulher passiva, é possível estimular seus seios. A mulher possui uma outra vantagem com essa posição, com um pouco de jeito, a pessoa ativa pode esfregar a pélvis no clitóris dela.
# De bruço: nessa posição a pessoa passiva fica de bruço e, se necessário, coloca-se um travesseiro embaixo de sua cintura. A outra pessoa deita por cima fazendo a penetração.
# De 4: conhecido também como cachorrinho. A pessoa passiva deve ficar ajoelhada apoiando-se em seus cotovelos e lembrando sempre de relaxar o ânus.
Porém, a pessoa ativa deve tomar cuidado, pois ela perde o controle do equilíbrio e da força, podendo penetrar muito fundo com força, vindo a machucar. Essa posição é mais indicada quando a pessoa passiva já está acostumada com esse tipo de relação.
# De lado, sendo penetrado por trás: é uma variação da de bruço, sendo que nessa posição ambos estão de lado. A vantagem sobre a de bruço é que o órgão genital da pessoa passiva (tanto o homem quanto a mulher, sendo que ela tem a vantagem ter os seios estimulados) pode ser estimulado. Sem dizer que fica fácil de beijar os ombros e pescoço.
# De lado, sendo penetrado pela frente: essa é uma posição complicada, pois a pessoa ativa fica muito distante da pessoa passiva, necessitando de bastante prática.
         Técnicas Avançadas
         Lembra do exercício de dilatação e pressão do períneo ? Você pode utilizá-la durante a penetração, dilatando o períneo quando a pessoa ativa faz força para dentro e prendendo o períneo quando a pessoa ativa faz força para fora.
         Essa técnica pode contribuir para aumentar o prazer de ambos, mas tem que ser feito com o ritmo bem entrosado para não machucar.

Tags:  Variedades De tudo um pouco Guia de como Praticar Sexo Anal
 
< Anterior   Próximo >

Assista Também !

Uma mulher, dois caralhudos
Uma mulher, dois caralhudos

Um gatinho moreno muito guloso, sedento por leite mama a rola
Um gatinho moreno muito guloso, sedento por leite mama a rola

Orgia entre amigos
Orgia entre amigos

Mamando na tora
Mamando na tora

Batendo uma nervosa
Batendo uma nervosa

Galeria de Fotos

Seu Pênis Grande

Seu Penis 12cm Maior
s